Buscar

A posição do CNA na prevenção do coronavírus no agro



Sem dúvidas, estamos todos preocupados com a pandemia que nos atinge. E uma das estratégias de contenção do contágio do coronavírus, aplicada em todo o mundo, que vem dando resultado, consiste em praticamente interromper os contatos sociais e paralisar todas as atividades sociais. No Brasil não tem sido diferente.


Fazendo uma reflexão, devemos considerar que essas restrições não podem ser absolutas. Ou seja, existem áreas em que não podem haver paralização, sob pena de prejudicar ainda mais a situação do povo brasileiro. Hospitais, unidades sanitárias e todos os elos da cadeia da saúde não podem deixar de funcionar plenamente.


Também na categoria de serviços essenciais ao povo brasileiro, devem ser incluídas as atividades de produção e comercialização de alimentos, cuja demanda não será reduzida pela crise. Do contrário, se faltarem alimentos ou se houver irregularidades no abastecimento, a saúde das pessoas será afetada e a própria harmonia social, que tanto precisamos nessa hora, será atingida.


Em vista disso, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, em nome dos produtores rurais brasileiros, assegura à população que continuará produzindo normalmente.


Por esse motivo, preocupados com todos os clientes e demais produtores, elencamos a seguir algumas medidas a serem tomadas por todos os atores do Agro:


- Higienizar as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos a cada vez, esfregando os espaços entre os dedos, o dorso da mão e cavidades, onde as bactérias podem se alojar;

- Usar sabonete (apenas água é insuficiente para a higienização). Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

- Evitar contato próximo com os demais funcionários em baias ou demais locais da Fazenda;

- Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo. Contato com olhos, nariz ou boca permite que o vírus entre no corpo, gerando infecção. Essas regiões do corpo têm mucosas;

- Em locais com grande concentração de pessoas (momento da plantação da safrinha), é preciso tomar cuidados especiais, preferencialmente, mantenha-se a pelo menos 1 metro de distância de pessoas que estiverem tossindo ou espirrando;

- Se tiver de tossir ou espirrar, cubra o rosto com o braço dobrado. Isso evita que as secreções do corpo entrem em contato com superfícies ou com outras pessoas;

- O uso de álcool gel é uma medida eficaz para higienização das mãos, segundo o Ministério da Saúde. No entanto, deve ser considerada uma segunda opção, somente para ocasiões em que não é possível lavar as mãos com água e sabão;

- Após o uso, higienizar todas as máquinas e implementos agrícolas usados na plantação, inclusive cabine onde o trabalhador permanece e demais ferramentas utilizadas.

- Medir a temperatura do safrista antes do início da jornada de trabalho, caso tenha suspeita do vírus, o trabalhador deve ser afastado provisoriamente do trabalho. Também pode ser flexibilizada a jornada de trabalho dos empregados que não sejam necessários na plantação da safrinha;

- Contatar vendedores externos por meio de acesso remoto, como WhatsApp, telefone, e-mail.

É importantíssimo que todos que atuam no campo sigam as orientações para que não sejam contaminados e nem passem o vírus adiante!


#advocaciadeprecisão # coronavírus #COVID-19 #saúde #segurança #ambienteseguro #produtor #rural #advogado #trabalhista #direito #trabalho


12 visualizações

© 2018 criado por Kayo Santos. / Ícones por Icons8.